Portal no Facebook Portal no Twitter Portal no YouTube Blog do Portal Portal nas Redes Sociais

Portal Terceira Idade
Notícias do Cidadão Notícias do Cidadão Espaço Livre Espaço Livre Shows e Eventos Shows e Eventos Cursos e Atividades Cursos e Atividades Parcerias Parcerias Direitos 3a.Idade Direitos 3a.Idade

Diálogo Aberto

Enquete "Você acha
que...?"
Enquete
Cadastre-se Cadastre-se
no Portal
3a.Idade!
Busca Procurando
algo no site?
Busca
Pesquisa Links para
Pesquisa
Mural de Trocas Anuncie
seu produto!
Mural
de Trocas
Fale Conosco Dúvidas?
Sugestões?
Críticas?

Fale
Conosco
Dicas de Internet "Download"?
"Browser"?
Dicas
de Internet

Colméias da 3a.Idade
Colméias da 3a.Idade
Escolha o seu assunto e participe de nossas salas de chat temáticas

Diálogo Aberto
Diálogo Aberto
Arte e Cultura
Reflexão
Não seriam as pessoas idosas as portadoras da chamada “sabedoria”?
Conversa entre uma criança e seu avô levanta interessante reflexão sobre as relações intergeracionais. O que você, leitor, faria no lugar dos personagens desta história?
Por: Mônica de Ávila Todaro
Doutora em Educação, Mestre em Gerontologia pela UNICAMP e Docente da UNINOVE
Fale com o colunistaFale com o colunista
Fale com o colunista
foto colunasa coluna deste mês, não farei resenhas assim como venho fazendo sempre. Pretendo, apenas, contar uma história para que vocês, leitores, reflitam e comentem a respeito das relações intergeracionais.

O que uma criança mais gosta? De comemorar seu aniversário, é claro. Mas, mais do que isto, o que ela adora mesmo é de abrir os presentes. Além disso, o que ela verdadeiramente ama é, ao abri-los, encontrar brinquedos e jogos.

Pois bem, era aniversário de um menino que vivia com seus pais e cujo avô morava com eles. Esta foi uma situação imposta e não desejada, já que ele era o pai do pai da criança e já que seu outro filho não se prontificava a morar com ele.

Bem, após a sua festa de aniversário, o menino começou a abrir os presentes: roupas – que não fazem tanto sucesso –; livros e DVDs – alguns repetidos que precisarão ser trocados –; sabonetes e xampus – que as mães parecem gostar muito –; brinquedos variados, de diferentes tamanhos, tipos e qualidade, e O JOGO QUE ELE MAIS QUERIA!!!

Até então, a história caminhava tranquilamente, sem conflito algum. Ele rasgou o plástico que envolvia o jogo, abriu a tampa, levantou o tabuleiro e encontrou o que esperava: a máquina!

O problema começou: para jogar é preciso fazer a máquina funcionar com PILHAS!!! Ele não teve dúvida: foi ao quarto da mãe e perguntou: “Você tem pilha?”, mas a mãe não tinha. Foi até o pai: “Tem pilha?” e ele também não tinha, mas deu uma ideia: “Peça emprestado para seu avô. Ele pode retirar do controle remoto da TV”.

Parecia que seu problema iria, finalmente, encontrar uma solução. Mas não se engane, amigo leitor, aqui começa o conflito dessa história.

O avô, que apesar de muito idoso, não é uma pessoa doente ou “entrevado”, como dizem por aí, estava deitado em sua cama confortável, num quarto só seu, quando foi abordado pela criança: “Vô, o senhor pode me emprestar as pilhas de seu controle remoto?”

Paro a história por um momento e pergunto: O que você, leitor, que possivelmente tem alguma concepção do que é desempenhar o papel social de avô, diria?

a) SIM
b) SIM, traga o jogo para vermos juntos
c) SIM, pode tirar as pilhas do controle
d) SIM, mas traga de volta assim que acabar de jogar
e) SIM, vou tirá-las para você

Pois agora, retomando a história, eu digo a vocês que a resposta foi “NÃO!”.

Persistente, como toda criança, o menino retrucou: “É que estou super curioso para saber como funciona”. Então, veio a resposta rápida e direta: “E daí?”. O menino insistiu: “Será por pouco tempo, pois durmo às 21 horas e já são 19”. A resposta definitiva soou como uma facada final: “A pilha é minha e eu não empresto!”.

Fica aqui a reflexão: não seriam as pessoas idosas as portadoras da chamada “sabedoria”? Não deveriam as pessoas que são cuidadas por seus filhos, contribuírem com o bem estar de seu neto, num gesto simples de gratidão? O que esta criança aprendeu com este idoso?

O que você, leitor, faria no lugar dos personagens desta história (pai, mãe, filho e avô)?

Fotos/ilustrações: divulgação
Mais sobre o assunto, na internet
UOL > Vya Estelar > Saúde e Gerações
Mente na Terceira Idade

Informações sobre funcionamento da mente na terceira idade e gerontologia. Caminhos para uma relação saudável entre avós, filhos e netos
http://www2.uol.com.br/vyaestelar/saude_geracoes.htm
Mais sobre o assunto, no Portal Terceira Idade
Arte e Cultura > Anteriores: Literatura
A casa do meu avô...
Quem nunca passou férias inesquecíveis na casa do avô? O livro "A casa do meu avô" reúne quatorze poemas sobre o tema

Outras Colunas

Arte
Concurso

vídeo disponível
“Talentos da Maturidade” valoriza e incentiva a produção e memória cultural da 3ª idade
Realizado pelo Santander Cultural e o Ministério da Cultura, o concurso completa 14 edições neste ano.
Confira os vencedores!
Consciência Negra
Dia da União e Consciência Negra
Data marca a morte de Zumbi dos Palmares, morto em 20 de novembro de 1695
Esoterismo
2012: fim do mundo ou o início de uma nova era?
A data prevista pelo Calendário Maia não se refere ao fim do mundo, mas, sim, a um processo de transformação dos valores espirituais na consciência da humanidade, rumo à evolução
Crônicas I
“Quais cores essa vida tem?”
Série de crônicas relata histórias de pessoas que passaram dos 60 anos de idade, mas que levam uma vida ativa como qualquer outra pessoa mais jovem

Portal Terceira Idade® é uma realização da
Associação Cultural Cidadão Brasil
©Todos os direitos reservados
Desenvolvimento, Webdesign e Sistemas: Auika - Web & Graphic Design