Portal Terceira Idade - home Prefeitura da Cidade de São Paulo Telecentros - Prefeitura de São Paulo
Notícias do Cidadão Notícias do Cidadão Espaço Livre Espaço Livre Shows e Eventos Shows e Eventos Cursos e Atividades Cursos e Atividades Parcerias Parcerias Direitos 3a.Idade Direitos 3a.Idade

Diálogo Aberto

Enquete "Você acha
que...?"
Enquete
Cadastre-se Cadastre-se
no Portal
3a.Idade!
Busca Procurando
algo no site?
Busca
Pesquisa Links para
Pesquisa
Mural de Trocas Anuncie
seu produto!
Mural
de Trocas
Fale Conosco Dúvidas?
Sugestões?
Críticas?

Fale
Conosco
Dicas de Internet "Download"?
"Browser"?
Dicas
de Internet

Colméias da 3a.Idade
Colméias da 3a.Idade
Escolha o seu assunto e participe de nossas salas de chat temáticas

Espaço Livre
Espaço Livre
Trabalho: 160

voltar à página anterior

ESTÓRIAS

Título/Texto
Fale com
o autor
do trabalho

E-mail

envie um e-mail para o autor

Dados do Autor/
Data de Postagem
O CIPRESTE NÃO CHORA
Para Dr. Mário Gentil Costa (Ateu, graças a Deus, como diria o gênio)

O portão... o cipreste... a cidade muda... os corredores...
O cipreste está vestido de um verde escuro (tão usado por quem é poeta...) numa eterna mudez, contemplativo.
Olha lá longe e além do muro e vê o mundo dos vivos e dos mortos.
O cipreste é soberbo. É altaneiro, erguido no espaço. Parece sentir na alma esvoaçante de seus galhos que vêem tantos mortos, a prece de beijo que morreu na boca. Mansamente o sino tange e o cipreste verga. São as vozes dos mudos que o cipreste verga... que o cipreste ouve. Somente ele o consegue.
Vozes nostálgicas das igrejas brancas de todas as cidades no carrilhão da sua memória permanecem.
Ouve até o som esquisito das estrelas...
Pode soprar o vento... gritar a tempestade... ele quase não verga nem balança.
Ostenta na majestade de seus gestos a indiferença de quem não chora, de quem não sente.
É a sentinela da paz do cemitério.
É o cipreste da porta de entrada, que guarda em si os segredos dos anos, das lágrimas furtivas, do engano cruel da vida e da morte.
É o cipreste que não chora, nem geme.
É o indiferente que não se cansou de ver passar os que não voltam mais...
É o verde-escuro, ereto, firme.
É o que não chora como nós.
É o mistério do tudo ou nada que contém a vida.
Que contém a morte.
É o cipreste que não sabe chorar.

DONATO RAMOS
(Do livro FOLHAS SOLTAS)
Donato Ramos
Florianópolis
SC
De 71 a 80 anos
07/03/2008
e-mail disponível e-mail disponível
autor não divulgou e-mail autor não divulgou seu e-mail

Portal Terceira Idade® é uma realização da
Associação Cultural Cidadão Brasil
em parceria com os Telecentros e a Prefeitura do Município de São Paulo
©Todos os direitos reservados - 2005/2006
Desenvolvimento, Webdesign e Sistemas: Kuantika Multimídia