Portal no Facebook Portal no Twitter Portal no YouTube Blog do Portal Portal nas Redes Sociais

Confira!

Cidadania e Direitos da 3a Idade... Entrevistas: Mercado de Trabalho, Transportes, Economia... Entrevistas: Saúde e Bem-estar... Reportagens... Confira programação completa... Confira!

Portal Terceira Idade
Notícias do Cidadão Notícias do Cidadão Espaço Livre Espaço Livre Shows e Eventos Shows e Eventos Cursos e Atividades Cursos e Atividades Parcerias Parcerias Direitos 3a.Idade Direitos 3a.Idade

Diálogo Aberto

Enquete "Você acha
que...?"
Enquete
Cadastre-se Cadastre-se
no Portal
3a.Idade!
Busca Procurando
algo no site?
Busca
Pesquisa Links para
Pesquisa
Mural de Trocas Anuncie
seu produto!
Mural
de Trocas
Fale Conosco Dúvidas?
Sugestões?
Críticas?

Fale
Conosco
Dicas de Internet "Download"?
"Browser"?
Dicas
de Internet

Colméias da 3a.Idade
Colméias da 3a.Idade
Escolha o seu assunto e participe de nossas salas de chat temáticas

Notícias do Cidadão
Notícias

Alzheimer - Tecnologia
Menina de 12 anos cria aplicativo para ajudar avó com Alzheimer
O aplicativo, desenvolvido pela chinesa Emma Yang, funciona como uma rede social, só que com uma diferença: ele tem reconhecimento facial
Por: Camila Caputti
Auxiliar de Enfermagem e Socorrista,
é colunista convidada do Portal Terceira Idade
Fale com o colunistaFale com o colunista
Fale com o colunista
foto notícias

Emma Yang, 12, ao lado de sua avó; no destaque uma das telas do aplicativo Timeless, desenvolvido pela menina

entre as terapias que têm sido desenvolvidas para estimular o cérebro, tanto para quem tem Alzheimer quanto para pessoas que querem prevenir a doença, o uso do computador e das redes sociais são algumas das que mais demonstram bons resultados.

A novidade é o fato de um novo aplicativo de celular para ser utilizado por pessoas com Alzheimer ter sido desenvolvido por uma menina de apenas 12 anos.

Feito para ajudar a avó

Emma Yang, chinesa que mora em Nova Iorque, pensou em um aplicativo para ajudar a sua avó, que tem Alzheimer. Morando ainda em Hong Kong, portanto, longe dos parentes, a idosa foi diagnosticada com Alzheimer e começou a ter cada vez mais lapsos de memória. Então, Yang pensou em um aplicativo para celular que auxiliasse a memória da avó. Com ajuda da tecnologia, ela criou praticamente uma “memória externa” para que as pessoas com Alzheimer se lembrem de todos os parentes e amigos.

Reconhecimento facial

O aplicativo Timeless (Eterno, em português), desenvolvido pela menina – que sabe programar em mais de 5 linguagens, é pianista, ganhou várias bolsas de estudo, está escrevendo um livro e é uma das 10 pessoas com menos de 20 anos mais importantes da cidade de Nova York –, funciona como uma rede social, só que com uma diferença: ele tem reconhecimento facial.

Quando o idoso não reconhece a pessoa com que está conversando, basta tirar uma foto. O aplicativo compara o rosto com outras fotos que já estejam em seu banco de dados, e informa quem é a pessoa. Uma ajuda e tanto para aqueles que têm dificuldades para reconhecer os entes queridos.

Ele tem outras funções importantes que podem ajudar bastante. O login (entrada no aplicativo) é feito por impressão digital, facilitando o acesso. Há também as funcionalidades de mensagem e ligação.

É comum, por exemplo, que pessoas com a doença liguem várias vezes para a mesma pessoa em um curto espaço de tempo. Por isso, o aplicativo tem uma função de notificar o usuário caso ele esteja tentando ligar para alguém com quem já falou nos últimos cinco minutos.

Além do reconhecimento facial para ajudar da identificação de familiares e amigos, o aplicativo oferece, também, um botão para lembrar o paciente de seu próprio nome. Ele ainda tem horário, data, previsão do tempo e agenda. Para a família acompanhar mais de perto a pessoa com Alzheimer, o app fornece atualizações das atividades realizadas pelo usuário.


Fotos/ilustrações: divulgação
Mais sobre o assunto na internet
Minha Vida > Saúde > Alzheimer
Alzheimer: um em cada três casos poderia ser prevenido, diz estudo
Diabetes, obesidade e outros fatores aumentam risco da doença aparecer
Mais sobre o assunto no Portal Terceira Idade
Notícias > Anteriores > Reportagem - 3ª idade conectada (01/09/2016; vídeo disponível)
WhatsApp, Facebook... E a “moçada” da 3ª idade está cada vez mais conectada!
Reportagem da RedeTV entrevistou Anísia Spezia, 70, do Portal Terceira Idade, e mostra que se engana quem pensa que os que têm mais de 60 anos estão desconectados do mundo

Outras Notícias

Portal Terceira Idade® é uma realização da
Associação Cultural Cidadão Brasil
©Todos os direitos reservados
Desenvolvimento, Webdesign e Sistemas: Auika - Web & Graphic Design